Expediente

    Assinatura

    Troca de endereço
     Números atrasados

    Assessoria de Imprensa
    Jornalista Responsável

    Editor

    Co-editor

    Co-editora

    Publicidade

Nem só as Estrelas sabiam

Victor Faria


22/04/2008

 

Prólogo

 

A era da colonização espacial havia acabado. Não havia "cantos" onde os humanos e híbridos não conhecessem. Devido à alta proliferação de raças híbridas, os humanos originais, os primeiros terrestres, estavam em extinção. As guerras haviam cedido lugar à diplomacia, portanto, agora, toda a galáxia respondia por seus atos a um governo. Mas, de certa forma, isto freou a colonização estelar.

Azel era um dos últimos humanos normais. Mesmo sua mãe sendo uma Neotron, sua constituição não mudou, apenas ficou com a inteligência mais aguçada e mantinha a curiosidade natural inerente à sua família.
Sua família era bem conhecida por ter iniciado a Enciclopédia Galáctica, a qual não estava mais limitada a apenas uma família, e sim, a todo o universo. Nela continha todas os relatos de famílias importantes para a colonização espacial e também continha todos os arquivos e informações inerentes a projetos e outros itens alienígenas ou de dimensões exteriores.

Por causa disso, era um item muito cobiçado por militares e afins. Lá continha a descrição completa de projetos, tais como Alpha 01, Sephirot, M.A.D.E.B.B e Naves Neotrons, que fizeram um grande estrago no passado. Era mantida sob vigilância constante. Azel nunca imaginou que seu "diário", se tornasse um item tão importante para todo o universo.

A Enciclopédia Galáctica se encontrava no Sistema de Andrômeda, num planeta denominado "Valkíria". Era um planeta deserto, só havia a torre central de cem andares, com cada andar sendo vigiado por vários guardiões e humanos. Ali era o centro de todo o conhecimento. Cópias do livro foram distribuídas para os planetas, mas claro, só o original continha os projetos secretos de armas e itens bélicos. Era uma versão editada da enciclopédia para fins didáticos e para conhecimentos gerais. Sem ela, nos dias de hoje, ninguém sobreviveria.

Foi exatamente o que uma mente engenhosa pensou. Todos os livros editados estavam interligados com o original, de onde provinham informações conforme fossem acrescentadas. O que acarretava num certo problema, mas também, ninguém se atreveria a dizer que o livro original pudesse ser roubado da torre central de Valkíria. Se o livro original sumisse, todos os outros interligados a ele, também deixariam de existir.

Seu nome era desconhecido, mas apenas sabia-se que era uma mulher. Ela havia planejado um "golpe de estado" e estava conseguindo isso. Desejava deixar todos na "escuridão". Um certo dia, em Valkíria, alguns humanos e guardiões notaram o desaparecimento de alguns colegas. O "golpe" havia acabado de ser executado, e o livro original, roubado.

Furtado? Mas como? Era impossível para uma pessoa comum...

A "Era do Caos" estava apenas começando...

 

Capítulo 1: Escuridão

 

Informações climáticas também poderiam ser obtidas através da Enciclopédia Galáctica, mas por algum motivo desconhecido, os planetas habitados mais distantes, perderam suas estações e climas variados. Os Conquistadores acabaram por se adaptar ao clima seco de seus planetas, mas com o passar dos anos, se não fizessem uma pesquisa na Enciclopédia, não saberiam mais o que eram ventos, neve, ou mesmo chuva. Essa última fora totalmente extinguida dos planetas secos, o que causava reações adversas ao ser mencionada pelos habitantes. Muitos tinham curiosidade; outros, medo. O fato é que ninguém mencionava ou se importava, pois havia a Enciclopédia para esclarecer qualquer dúvida. "Havia", porque agora corria a notícia de que a original havia sido roubada.

Escolas, governos, máquinas e humanos pararam. Sem a Enciclopédia, escolas não tinham o que ensinar, o governo não tinha uma base para se manter, ou saber o que fazer, os operadores de máquinas não tinham mais seu "manual" sobre o funcionamento delas, e os humanos haviam perdido seu objetivo e rumo na vida. A Escuridão os havia atingido. Nunca se importaram em aprender alguma coisa. A Enciclopédia estaria lá sempre que precisassem. O que não era o caso agora.

Estranhamente, no horizonte de todos os planetas, podia ser observada uma formação de nuvens cinzentas se aproximando, anunciando chuva. Para os habitantes, era o Juízo Final. Nunca haviam presenciado chuva antes. A Enciclopédia também era responsável por manter o clima dos planetas, provando que não era um simples livro.

Seres aglomeravam-se nas Torres da Sabedoria, torres que interligavam os planetas, através de computadores. A população estava em pânico. O céu escurecia cada vez mais. Nem os Sábios sabiam inteiramente o que fazer, mesmo sendo operadores da Enciclopédia. Só faziam o que foram designados a cumprir: manter a ordem e a comunicação entre os planetas. As pessoas acumulavam-se em busca de orientação.

Então, vindo do céu, um clarão se formou, seguido por um raio de energia ramificada que atingiu em cheio a torre leste. Era um relâmpago.

E não podia ser pior. Agora a multidão forçava a entrada das duas torres, pensando lá estar um muralha de proteção contra o fim do mundo. Os Sábios precisavam fazer alguma coisa.

— O que temos de fazer?

— Sem a Enciclopédia só há uma solução. Contatar o criador dela...

— Azel? Mas ele se encontrava no planeta chamado "Terra"! Nem sabemos se esse planeta realmente existiu algum dia...

— Os registros dos computadores sabem de onde a Enciclopédia veio. Só precisamos achar um jeito de enviar uma sonda comunicadora para lá. Enquanto isso precisamos acalmar o povo.

 

 




 

Queremos saber o que achou do conto
 correio-eletrônico para:cartas@scarium.com.br


Topo da Página
[ Capa | Artigos | contos| Scarium E-book]

 


contador free